Quem é responsável por identificar produtos-aposta?

Este é um artigo bônus da série de 3 posts que escrevi sobre minha palestra na Agile Trends. Os artigos anteriores são:

Ao final da minha palestra, a @DZFMiguel me perguntou “Quem é responsável por identificar produtos-aposta? O marketing?”. Essa é uma pergunta bem interessante e por isso merece um post bônus! :-)

Em uma startup

Em uma startup essa é a função do fundador. Ele encontrou um problema ou uma necessidade de uma grupo de pessoas e, com seu conhecimento desenvolveu um produto web para resolver esse problema ou atender essa necessidade. Ele é a pessoa com a visão do produto-aposta e que irá executar sua visão utilizando as metodologias de desenvolvimento de produto apresentadas no livro Guia da Startup.

Em uma empresa estabelecida

Com a evolução da empresa, apesar de o fundador poder continuar sendo o visionário, alguém precisa ter como função sistematizar o processo de encontrar novas ideias e transformá-las em produtos-aposta. Mas quem deve assumir essa função?

No marketing tradicional existe o conceito dos 4Ps que procura mostrar a ação do marketing em quatro variáveis:

  • Produto (Product): tudo o que se refere ao produto ou serviço em si, como formulação física, características, produção, qualidade, marca, design, embalagem, etc.
     
  • Preço (Price): política de preços, descontos, e formas e prazos de pagamento;
     
  • Praça (Place; ponto de venda/distribuição): tarefas necessárias para apresentar o produto ou serviço ao consumidor, para que ele possa comprá-lo e consumi-lo, canais de distribuição, cobertura, variedades, locais, estoque, transporte.
     
  • Promoção (Promotion): todas as tarefas de comunicação que visam promover o consumo do produto ou serviço, promoção de vendas, publicidade, força de vendas, relações públicas, marketing direto, propaganda, e todos os conceitos de Growth Hacking que tenho discutido em outra série de posts.

Lendo a descrição dos 4Ps do marketing, especialmente o P de Produto, é natural pensar que o departamento de marketing tenha a responsabilidade de encontrar novas ideias e transformá-las em produtos-aposta, ou seja, de definir o que a área de engenharia ou de produção deveria criar como novo produto. Acontece que em algumas indústrias como indústria automotiva, aeronáutica, farmacêutica e outras similares os produtos são muito técnicos e, nesses casos, é comum ter uma área de pesquisa e desenvolvimento (P&D) que está constantemente experimentando com novas tecnologias e o marketing fica com a função de encontrar uma forma de vender essas novas tecnologias. Ou seja, nesse caso descobrir novos produtos-aposta acaba ficando como uma responsabilidade dividida entre o departamento técnico e o de marketing.

Na nossa indústria, a indústria de software, e de serviços baseados em software, é possível encontrar essa responsabilidade tanto na área de marketing quanto na área de engenharia. Em 1998, quando vendi minha primeira startup, a Dialdata, um provedor de acesso a internet focado em empresas, para uma empresa americana, eu passei a trabalhar para essa empresa americana. Quando vendi a empresa, ela tinha uns 50 funcionários. Como fundador da minha empresa, eu era o responsável por encontrar produtos-aposta para nosso portfólio de produtos. Ao começar a trabalhar para essa empresa americana, minha função era de gestor de produtos, que tinha por responsabilidade equalizar o portfólio de produtos das diferentes companhias que essa empresa americana estava comprando em vários países, identificando produtos de uma companhia que pudessem ser vendidos em outros países. Além disso, tinha por responsabilidade encontrar novos produtos-aposta para colocar no portfólio de produtos. Naquela época, eu integrava o departamento de marketing.

Contudo, já faz alguns anos que mais e mais empresas vêm colocando essa responsabilidade em uma nova área, independente do marketing e da engenharia, e que funciona como uma ponte entre essas duas áreas. É a área de produtos, ou de gestão de produtos.

Essa área funciona muito perto do marketing, especialmente do marketing de produtos, como já comentei anteriormente. Por outro lado, a gestão de produtos trabalha junto com UX e com engenharia para criar produtos de sucesso. Em muitas empresas de produtos, a área de UX e a área de produtos são uma só.

E agora vou criar mais duas dívidas de posts futuros… :-P

Fico devendo um post sobre a relação de UX e gestão de produtos e outro sobre a relação de engenharia e gestão de produtos.

Livro sobre gestão de produtos

Vc gosta do tema gestão de produtos de software? Quer se aprofundar mais no assunto? Escrevi um livro sobre o assunto, dividido em 5 grandes áreas:

  • Definições e requisitos
  • Ciclo de vida de um produto de software
  • Relacionamento com as outras funções
  • Gestão de portfólio de produtos
  • Onde usar gestão de produtos de software
Capa do Livro Gestão de Produtos

Esse livro é indicado não só para quem tem software como seu core business, como tb para empresas que desenvolvem software sob demanda e empresas que não tem software como seu core business mas usam software para se comunicar com seus clientes como, por exemplo, escolas, bancos e laboratórios clínicos.

Interessou? Então adquira sua cópia hoje mesmo!

Newsletter

Se você quiser receber artigos por email sobre startup, gestão de produtos e gestão de TI, digite seu endereço abaixo e aperte enter:


8 ideias sobre “Quem é responsável por identificar produtos-aposta?

  1. Joca, obrigada pela gentileza do post.
    Entendo que todas as áreas, mas principalmente Vendas e Marketing devem estar envolvidas na estratégia e na execução em seus menores detalhes.
    Seja lá qual nome for, P&D, Produtos, Marketing, e etc., o importante é olhar para fora da caixa, olhos no cliente e no mercado!
    Essas áreas fundamentalmente devem ser complementares e funcionar de um jeito que captem, desenvolvam e mantenham clientes.

    • Oi Daniela,

      Obrigado a vc pela pergunta e por seu comentário! :-)

      Sim, concordo com vc, toda a empresa deve obrigatoriamente olhar para o cliente e o mercado para identificar novas oportunidades. Mas, como diz um velho ditado “um cão com muitos donos morre de fome”, ou seja, todos devem procurar novas oportunidades, mas apenas um deve ter por função e responsabilidade de juntar todas essas oportunidades, priorizá-las e coordenar sua execução. Como explicado acima, essa função pode ficar em engenharia, em marketing ou ser uma área independente, chamada de gestão de produtos.

      Faz sentido para vc?

      Abs,
      Joca.

  2. Pingback: Mudança de rumo (pivot) | Guia da Startup

  3. Pingback: Como gerir um portfólio de produtos? | Guia da Startup

  4. Pingback: Engenharia de produtos e gestão de produtos | Guia da Startup

  5. Pingback: UX e gestão de produtos | Guia da Startup

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>