Qual a diferença entre gestão de projetos e gestão de produtos?

Antes de falar sobre a diferença entre a função de gestão de projetos e de gestão de produtos, é preciso deixar claro a diferença de projeto e produto. Vamos recorrer à Wikipedia:

Um projeto em administração ou em ciência é um empreendimento colaborativo, que frequentemente envolve pesquisa e projeto, e que é planejado para atingir um determinado fim. (Fonte: Wikipedia)

O termo produto é definido como “algo produzido pelo trabalho ou esforço” ou como “resultado de um ato ou processo” e tem sua origem no verbo produzir, do Latim produce(re) ‘fazer existir’. (Fonte: Wikipedia)

Ou seja, enquanto o projeto é um processo com começo, meio e fim, o produto é o resultado de um processo, de um esforço.

Então gerir projetos e gerir produtos são duas funções distintas?

Sim. Enquanto se está gerindo um projeto, a preocupação é com o processo e com tudo o que o cerca, ou seja, se está no prazo, se tem os recursos necessários e se está sendo feito conforme esperado (qualidade e escopo).

Por outro lado, quando se gere um produto, a maior preocupação é, ou pelo menos deveria ser, garantir que produto resolve um problema do cliente a quem esse produto é destinado e atende aos objetivos da empresa.

Em um post de 2007 do blog How To Be A Good Product Manager, o autor Jeff Lash lembra alguns pontos importantes que não devemos esquecer quando pensamos em gestão de projetos e gestão de produtos:

  • Assim como todo produto precisa de um gestor de produtos, todo projeto precisa de um gestor de projeto.
  • O fato de os gestores de projetos acreditarem ser capazes de gerir seus próprios projetos não signifaca que eles devam gerir seus próprios projetos.
  • As competências, talentos e conhecimento envolvidos em gestão de projetos são bem diferentes dos envolvidos em gestão de produtos.
  • Assim como é difícil encontrar uma pessoa capaz de fazer gestão de produtos e marketing de produtos muito bem, é difícil encontrar uma pessoa capaz de fazer gestão de produtos e gestão de projetos muito bem.
  • Gestão de projetos não é um passo na carreira de gestão de produtos, nem gestão de produtos é um passo na carreira de gestão de projetos.
  • Bons gestores de projetos são tão valiosos quanto bons gestores de produtos.
  • Ter um bom gestor de projetos para gerenciar seus projetos irá lhe ajudar a ser um gestor de produtos melhor.
  • Quanto menos tempo um gestor de produtos passar gerenciando projetos, mais tempo passará gerindo o produto.
  • Para evitar conflitos entre gestão de projeto e gestão de produto, os gestores de projeto, os gestores de produto e todo o time envolvido no projeto devem acordar sobre os objetivos compartilhados pelo time o máximo possível.

Já Marty Cagan deixa claro a necessidade de separação desses papéis em um de seus posts:

Para empresas de internet é realmente importante que os papéis sejam separados. Você irá ter problemas em gerenciar seus releases se você não separar esses papéis, e seus releases irão sempre atrasar e demorar mais do que deveriam.

E como as metodologias ágeis vêem essas funções?

As metodologias ágeis, mais especificamente o Scrum, tem dois papéis claros no time, um focado mais no projeto, o Scrum Master e outro focado mais no produto, o Product Owner (PO):

  • Product Owner: pessoa responsável por manter o backlog do produto, que respresenta os interesses dos stakeholders.
  • ScrumMaster: pessoa responsável pelo processo Scrum, garantido que é usado corretamente e maximizando seus benefícios.
  • Time: grupo de pessoas multifunctional responsável por se gerenciar para desenvolver o produto.
  • Time de Scrum: Product Owner, ScrumMaster e o Time.

Há um artigo na InfoQ com o título “As funções de produto owner e scrum master podem ser combinados?” em que o tema de ter um única pessoa gerindo projeto e produto é discutido. Tanto nas opiniões que compõem o texto e que incluem testemunhos de pessoas como Mike Cohn e Ken Schwaber, quanto nos comentários do texto é unânime que apesar de ser possível combinar as duas funções e, se o time for muito pequeno, ser até aceitável, o mais recomendado é que essas funções sejam desempenhadas por pessoas diferentes.

E na vida real?

Todos os relatos acima são baseados em fatos reais, mas sabemos que cada empresa tem sua própria realidade, seu próprio contexto. Então, o que é melhor fazer, deixar esses papéis separados ou combinados? O ideal é vc ir experimentando e, em algum determinado ponto, vc encontrara uma combinação que seja a mais adequada a vc, ao time com quem vc trabalha e a sua empresa. Note que cada grupo de pessoas tem sua dinâmica própria e o que funciona em um grupo de pessoas pode não funcionar em outro.

Na Locaweb temos vários times desenvolvendo diferentes produtos e cada time tem sua dinâmica própria onde o gestor de produto assume responsabilidades diferentes em relação ao time. Em alguns times a responsabilidade pelas tarefas de gestão de projeto técnico, ou seja, cuidar de questões de desenvolvimento, deploy e operação do produto, é tocada por um gestor de projeto, enquanto que em outros times essa responsabilidade é compartilhada entre o líder técnico da equipe e o gestor de produto. Por outro lado, em todos os times o gestor de produto exerce o papel de gestor de projeto para todas as tarefas não técnicas, ou seja, coordena com o time de marketing a comunicação do produto, coordena com o jurídico e financeiro as necessidades legais e fiscais do produto, suporta marketing no treinamento para as equipes de vendas, cuida de passar o conhecimento para a equipe de suporte técnico.

Enfim, procure encontrar um equilíbrio que faça sentido para vc, para o seu time e para empresa que vc trabalha, só tome cuidado para não absorver todas as funções de gestão de projeto. Procure dividi-las com alguém, principalmente as questões técnicas, caso contrário não sobrará tempo para vc gerir seu produto…

Livro sobre gestão de produtos

Vc gosta do tema gestão de produtos de software? Quer se aprofundar mais no assunto? Escrevi um livro sobre o assunto, dividido em 5 grandes áreas:

  • Definições e requisitos
  • Ciclo de vida de um produto de software
  • Relacionamento com as outras funções
  • Gestão de portfólio de produtos
  • Onde usar gestão de produtos de software
Capa do Livro Gestão de Produtos

Esse livro é indicado não só para quem tem software como seu core business, como tb para empresas que desenvolvem software sob demanda e empresas que não tem software como seu core business mas usam software para se comunicar com seus clientes como, por exemplo, escolas, bancos e laboratórios clínicos.

Interessou? Então adquira sua cópia hoje mesmo!

Newsletter

Se você quiser receber artigos por email sobre startup, gestão de produtos e gestão de TI, digite seu endereço abaixo e aperte enter:


3 ideias sobre “Qual a diferença entre gestão de projetos e gestão de produtos?

  1. Pingback: Qual a diferença entre gestão de marketing de produtos e gestão de produtos? | Guia da Startup

  2. Boa tarde, uma duvida quando ao seu artigo:
    Quando vocês falam: “Ou seja, enquanto o projeto é um processo com começo…” não consigo ver o projeto como um processo, entendo que o processo é um mecanismo pra gerir um projeto.
    Gostaria de saber qual a colocação quando a isso?
    Obrigado!

    • Oi Rodolfo,

      Concordo com vc, o processo é a maneira de gerir o projeto. Tanto é que a “gestão de projetos” é conhecido como um processo. Mas o meu ponto no texto não é dizer que projeto é um processo, mas sim dizer que projeto é algo com começo, meio e fim, em contraste com produto que é algo que não tem fim previsível.

      Abs,
      Joca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>