Pense em startup como experimento, e não como negócio

A dica rápida de hoje veio do Paulo Silveira, da Caelum. Ele me mandou um post interessante de um rapaz chamado Vinicius Vacanti que tem uma startup e descreve nesse post as inúmeras desculpas que fizeram ele demorar para lançar logo o produto:

  • Não está bom o bastante.
  • Não queremos dar uma má impressão para os usuários.
  • Precisa de mais algumas funcionalidades.
  • Precisamos de alguns mess para construir o back-end do produto.
  • Precisa escalar para acomodar centenas de mil hares de usuários.
  • Alguém via ver e via copiar.
  • Um investidor potencial vai ver.
  • TechCrunch via escrever sobre a gente e o site não está pronto.

No final do post ele termina com uma frase que define muito bem o que é uma startup:

Pense em startup como experimento, e não como negócio.

Startup é um experimento. Vc deve experimentar para encontrar a solução para o problema de seus clientes e para garantir que esses clientes vão lhe gerar o retorno financeiro suficiente para que vc continue oferecendo essa solução. Quando vc achar que não deve mais experimentar, ou deve diminuir o ritmo de suas experiências, provavelmente vc já encontrou um retorno mensal dentro do que vc esperava e nesse momento vc estará fazendo a transição de startup para um negócio.

Próximo post

Amanhã vamos falar sobre como atrair visitantes para o seu site.

Comentários

Já tinha pensado em startup dessa forma? Ajuda a ver que temos que, já que é uma experiência, devemos experimentar logo, não é?

Livro sobre gestão de produtos

Vc gosta do tema gestão de produtos de software? Quer se aprofundar mais no assunto? Escrevi um livro sobre o assunto, dividido em 5 grandes áreas:

  • Definições e requisitos
  • Ciclo de vida de um produto de software
  • Relacionamento com as outras funções
  • Gestão de portfólio de produtos
  • Onde usar gestão de produtos de software
Capa do Livro Gestão de Produtos

Esse livro é indicado não só para quem tem software como seu core business, como tb para empresas que desenvolvem software sob demanda e empresas que não tem software como seu core business mas usam software para se comunicar com seus clientes como, por exemplo, escolas, bancos e laboratórios clínicos.

Interessou? Então adquira sua cópia hoje mesmo!

Newsletter

Se você quiser receber artigos por email sobre startup, gestão de produtos e gestão de TI, digite seu endereço abaixo e aperte enter:


4 ideias sobre “Pense em startup como experimento, e não como negócio

  1. Eu tinha um pensamento bem próximo a esse, mas sempre voltava as questões que foram citadas no inicio do texto. Ficamos com tanta expectativa na nossa idéia que ficamos com medo de coloca-la em prática e ser um completo fracasso.
    Muito bom o texto, ajuda a mudar um pouco a nossa visão e arriscar um pouco mais.

  2. Essa foi a melhor frase do post!

    “Pense em startup como experimento, e não como negócio.”

    E sem dúvidas, todo experimento é baseado em práticas do que apenas pensamentos.

    E quanto mais você práticar, testar, validar mais resultados vai obter do que apenas criar hipóteses mentais que nunca saem da cabeça e vão pra realidade.

    • Oi Caio,

      Exato, não dá para ficar só na teoria. Experimento é prática. Só dá para aprender colocando seu produto na frente de seus clientes, deixando-os usar seu produto, e vendo e ouvindo o feedback do uso.

      Abs,
      Joca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>