Fake feature – uma forma de ser enxuto

Como estamos na semana do Lean Startup Machine, que vai rolar nesse fim de semana, vou contar um experimento que fiz no ContaCal recentemente. Esse experimento é conhecido como “fake feature” e funciona da seguinte forma: vc tem uma ideia de uma feature que vc acredita que ser muito útil para os seus usários. Antes de começar a desenvolver a feature, vc implementa uma chamada para essa feature e, caso alguém clique, vc pode mostrar uma tela explicativa informando que a feature será implementada em breve.

No ContaCal eu tive a ideia de implementar a assinatura para grupostais como empresas, escolas, famílias e outras organizações onde a assinatura feita para 10 ou mais pessoas teria descontos. Para implementar uma funcionalidade como essa eu teria que desenvolver um gerenciador de logins para que o administrador de cada grupo pudesse gerenciar suas contas. Não é algo muito difícil de fazer, mas é algo a fazer, são mais linhas de código para escrever e manter, mais interface para desenhar, mais fluxo de interação para elaborar, enfim, mais complexidade por uma funcionalidade que eu ainda não sabia se seria bem aceita.

Resolvi então não implementar a feature mas anunciá-la mesmo assim. Criei opções de assinatura no PayPal e coloquei essas opções em todas as telas de assinatura do sistema. Mandei email para toda a base anunciando a novidade no início de novembro. Até o fim de semana passado não recebi nenhuma assinatura de grupos e recebi somente 2 emails com dúvidas, um perguntando se havia opção para grupos menores e outro com uma série de dúvidas técnicas que, após eu ter respondido, nunca mais me deu retorno. Em função disso, removi essa opção do site. Imagine se eu tivesse gastado tempo em desenvolver a funcionalidade completa antes de lançá-la… :-)

Livro sobre gestão de produtos

Vc gosta do tema gestão de produtos de software? Quer se aprofundar mais no assunto? Escrevi um livro sobre o assunto, dividido em 5 grandes áreas:

  • Definições e requisitos
  • Ciclo de vida de um produto de software
  • Relacionamento com as outras funções
  • Gestão de portfólio de produtos
  • Onde usar gestão de produtos de software
Capa do Livro Gestão de Produtos

Esse livro é indicado não só para quem tem software como seu core business, como tb para empresas que desenvolvem software sob demanda e empresas que não tem software como seu core business mas usam software para se comunicar com seus clientes como, por exemplo, escolas, bancos e laboratórios clínicos.

Interessou? Então adquira sua cópia hoje mesmo!

Newsletter

Se você quiser receber artigos por email sobre startup, gestão de produtos e gestão de TI, digite seu endereço abaixo e aperte enter:


5 ideias sobre “Fake feature – uma forma de ser enxuto

  1. Olá Joca,

    Veja se concorda comigo: ao meu ver, esse teste não é muito válido pois a feature foi “testada” em um mercado que não se interessaria pela funcionalidade. Ela deveria ser testada pelo pessoal de RH, empresas que atuam com ginástica laboral e similares, não? Esses caras sim teria ou não intenção de fornecer a ferramenta para seus grupos de alunos, funcionários, etc.

    Acredito que seja bem difícil encontrar usuários finais que estejam dispostos a formar um grupo, convencer as pessoas a fazerem dietas (importante: é preciso que existam pessoas que precisam emagrecer no grupo no qual ela está inserida) e a pagar por um software para tal.

    O que acha?

    • Oi Leandro,

      Pensei bastante sobre isso antes de desligar essa funcionalidade, e acho que concordo com vc e discordo ao mesmo tempo! :-P

      Explicando:

      Concordo pois, depois desse experimento, fiquei com a impressão que uma venda para grupos requer um esforço de mkt diferente do que faço. Acredito que eu deveria ter feito campanha AdWords com outro tipo de anúncio e com outras palavras-chave e talvez testar anúncios Linkedin para profissionais de RH. Esse é um outro experimento que pretendo fazer no futuro.

      Discordo pois, apesar de não ter feito um mkt específico para esse grupo de pessoas, conheço várias pessoas que usam o ContaCal e que levaram o ContaCal para seus grupos, ou seja, comentaram com colegas da empresa, passaram a dica para familiares e assim por diante. Todas os usuários do ContaCal pertencem a grupos e já comentam sobre o ContaCal nesses grupos. Minha expectativa era acelerar esse movimento que já acontecia naturalmente, mas não funcionou como eu esperava… :-/

      Daí a importância dos experimentos. Eu tinha uma tese baseada no meu conhecimento dos clientes (eles comentavam em seus grupos sobre o ContaCal) e quis criar uma funcionalidade que atendesse e até acelerasse esse comportamento, mas não surtiu o efeito esperado.

      Agora é partir para os próximos experimento! :-)

      Obrigado pelo seu comentário!

      Abs,
      Joca.

      • Olá Joca,

        Entendi seu ponto de vista, porém o fato de um cliente estar presente em um grupo e levar o ContaCal para este não significa que ele vai “lutar” pela venda. Acredito que a maior parte simplesmente comenta e recomenda a ferramenta, mas não trabalha para formar grupos de realmente.

        Também não sei qual é o mínimo de usuário para fechar um grupo, mas supondo que sejam uns 5, seria muito complicado ao meu ver ter um cliente disposto a reunir mais 4 pesssoas visando fechar um grupo (lembrando que é preciso existir pessoas no grupo que precisam utilizar o software também).

        Enfim, acredito que o teste não seja tão inválido como eu pensava depois do que você respondeu, porém creio também que a funcionalidade não deva ser descartada sem antes ser testada no público-alvo que acredito ser realmente o mais indicado para ela.

        Um abraço,
        Leandro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>