Como fazer um roadmap?

No post anterior vimos o que é um roadmap, inclusive com alguns exemplos de curto e de longo prazo. A pergunta que ficou foi como fazer um roadmap, ou seja, como definir que itens vão no roadmap e em qual ordem?

A resposta é composta de três elementos, a empresa, os usuários e o que dá para fazer.

Quais os objetivos da empresa?

O primeiro elemento que um gestor de produtos deve conhecer para fazer o roadmap são os objetivos da empresa. O principal objetivo de uma empresa não é receita ou margem. Receita e margem são indicadores da saúde da empresa, que podem até mostrar se os objetivos da empresa estão sendo atingidos. Contudo, algumas vezes receita e margem não estão necessariamente atrelados aos objetivos. Aliás, esses objetivos costumam mudar com o tempo. Por exemplo, no começo de qualquer rede social o objetivo não é receita, mas sim obter a maior quantidade de usuários e garantir que esses usuários retornem. Somente depois de ter uma base considerável de usuários ativos é que faz sentido pensar em como obter receita, quer seja dos usuÁrios, quer seja de empresas interessadas em falar com esses usuários. Por isso é importante o gestor de produtos saber qual o objetivo da empresa e, periodicamente, validar se esse objetivo continua o mesmo.

O que os usuários querem?

Sabendo quais os objetivos da empresa, o gestor de produtos precisa pensar em novos produtos ou em evoluir produtos existentes para atender a esses objetivos. Para fazer isso ele precisa conhecer:

  • seus usuários: é preciso conhecer os usuários ou possíveis usuários de seu produto, quais problemas ou necessidades eles têm que seu produto pode resolver. Existem inúmeras ferramentas e métodos para conhecer o cliente. Alguns exemplos são pesquisa, entrevistas, análise de dados de acesso, teste A/B, protótipos, teste de usabilidade, etc.
     
  • contexto: o contexto em que seus usuários estão inseridos no dia-a-dia e, especificamente, quando usam o produto. O contexto é o conjunto de condições físicas e de eventos que circundam seu usuário. Por exemplo, se seu usuário acessa seu produto de um desktop ou de um smartphone faz parte do contexto.
     
  • mercado e concorrentes: tanto concorrentes diretos como indiretos. Os concorrentes diretos são aqueles que entregam o mesmo produto ou um produto similar. Já os indiretos são aqueles que de alguma forma substituem o seu produto. Por exemplo, suponha que vc fez uma ferramenta de gestão de ordens de serviço para pequenos prestadores de serviços. Um dos principais concorrentes é o email, pois esses pequenos prestadores podem usar o email ao invés de usar sua ferramenta. Ou ainda, podem usar telefone, papel e caneta!

Dá para fazer?

Muito bem, vc já conhece os objetivos da empresa, entendeu o seu usuário e agora definiu como vai ser seu produto ou aquela nova funcionalidade que vai ao mesmo tempo atender os objetivos da empresa e ser útil para o seu usuário. Agora vc precisa saber se dá para fazer e qual o custo de fazer. Pode até ser que seja possível fazer, mas se demorar muitos meses e custar muito, pode ser que não valha a pena. Aí entra a conversa com o time que vai fazer o novo produto ou a nova funcionalidade. É o pessoal de UX e desenvolvimento. Eles que dirão o custo, tanto em tempo quanto em dinheiro e, se esse custo não for aceitável, vcs terão que conversar para buscar alternativas.

Traduzindo tudo isso em uma imagem

Após ler o que é preciso levar em conta ao fazer um roadmap, dá para traduzir gestão de produtos em uma imagem:

gp

Concluindo

Para fazer seu roadmap vc precisa conhecer os objetivos da empresa, os usuários e suas necessidades e problemas e o que dá para fazer. Com isso em mãos vc consegue construir seu roadmap. Mas não se esqueça de que os objetivos da empresa podem mudar, os problemas e necessidades de seus usuários podem mudar e o que é possível fazer tb pode mudar. Por isso é fundamental fazer revisões períodicas de seu roadmap para mantê-lo sempre em linha com esses 3 elementos.

No próximo post vou falar da relação de gestão de produtos com gestão de marketing de produtos.

Outro post que pode te interessar explica por que empresas têm mais de um produto.

Série completa de artigos sobre roadmap

Esse artigo faz parte de uma série de artigos que escrevi sobre o tema roadmaps. Confira a série completa:

Livro sobre gestão de produtos

Vc gosta do tema gestão de produtos de software? Quer se aprofundar mais no assunto? Escrevi um livro sobre o assunto, dividido em 5 grandes áreas:

  • Definições e requisitos
  • Ciclo de vida de um produto de software
  • Relacionamento com as outras funções
  • Gestão de portfólio de produtos
  • Onde usar gestão de produtos de software
Capa do Livro Gestão de Produtos

Esse livro é indicado não só para quem tem software como seu core business, como tb para empresas que desenvolvem software sob demanda e empresas que não tem software como seu core business mas usam software para se comunicar com seus clientes como, por exemplo, escolas, bancos e laboratórios clínicos.

Interessou? Então adquira sua cópia hoje mesmo!

Newsletter

Se você quiser receber artigos por email sobre startup, gestão de produtos e gestão de TI, digite seu endereço abaixo e aperte enter:


3 ideias sobre “Como fazer um roadmap?

  1. Pingback: Gestão de produtos em uma imagem | Guia da Startup

  2. Pingback: OKRs, o futuro dos roadmaps | Guia da Startup e da Gestão de Produtos de Software

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>